Economia

Diante da crise do coronavírus, Julian Lemos defende projeto que regulamenta os “supersalários”

O deputado federal Julian Lemos (PSL) afirmou, nesta terça-feira (24), que, diante do combate ao coronavírus no país, todos os brasileiros devem fazer seus sacrifícios, incluindo deputados, senadores, prefeitos, vereadores, magistrados e promotores.

Em postagem no instagram, o parlamentar voltou a defender a retomada do debate do projeto que regulamenta o teto salarial do serviço público e acaba com os chamados “supersalários”.

Esse momento é de suma importância para o combate aos privilégios. Até hoje, com uma série de penduricalhos, muitas categorias conseguem receber bem acima do teto estabelecido pela constituição, ou seja, mais de R$ 39,2 mil, alguns chegam a 200, 300 mil. A aprovação do projeto pode gerar uma economia de mais de 2 bilhões de reais por ano para os cofres públicos”, disse Julian na publicação.

Confira:

View this post on Instagram

Chegou a hora de todos sem exceção darem sua contribuição. Não apenas Deputados Federais ou Senadores como uma medida simbólica de 200 milhões, a conta não fecha, o sacrifício é de 400 bilhões de Reais. Deputados estaduais, prefeitos, vereadores e magistrados e promotores. Mais ainda do que isso, se faz necessário uma medida drástica, uma medida extrema de corte nas despesas e altos salários. É preciso que a Câmara retome o debate e a votação do projeto (PLs 3123/2015 e 6726/2016) que regulamenta o teto salarial do serviço público e acaba com os chamados “supersalários”. Câmara retome o debate e a votação do projeto (PLs 3123/2015 e 6726/2016) que regulamenta o teto salarial do serviço público e acaba com os chamados “supersalários” “Esse momento é suma importância para o combate aos privilégios. Até hoje, com uma série de penduricalhos, muitas categorias conseguem receber bem acima do teto estabelecido pela constituição, ou seja, mais de R$ 39,2 mil, alguns chegam a 200, 300 mil. A aprovação do projeto pode gerar uma economia de mais de 2 bilhões de reais por ano para os cofres públicos”. Para agilizar a votação do projeto será preciso a criação de uma nova comissão especial na Câmara ou então a aprovação de regime de urgência para que o tema seja levado diretamente ao plenário. “A matéria já passou pelo Senado e aqui na Câmara o debate está adiantado, pronto para votar assim que está em pauta. @rodrigomaiarj #JulianLemosDeputadoFederaldaParaiba #NaoEumMandatoeUmaMissao #OFederaldaSegurancaPublica #DeputadodaSegurancaPublica #AvozdaParaiba

A post shared by Julian Lemos Dep. Federal (@julianlemosdeputadofederalpb) on

Tags: Tags: