Fale Conosco

Vou agora apresentar dois exemplos de movimentação de bastidores que comprovam que o governador Ricardo Coutinho mexe suas pedras para desidratar a candidatura natural do prefeito Cartaxo à reeleição, revelando que a relação dos dois hoje é apenas institucional e RC só apoiará Cartaxo se o bote que está armando não lograr êxito.

Ricardo Coutinho quer que Gervasinho assuma o diretório municipal do PMDB na Capital para fechar as portas à candidatura de Manoel Júnior ou para implodir uma eventual aliança do partido com o PT. Sutilmente, mas de forma incisiva, RC deixa entender que se Gervasinho não trouxer o PMDB para uma aliança com o PSB o segundo biênio da presidência da Assembleia poderá escorrer-lhe entre os dedos e com ela a chance de o PMDB chegar em 2018 com força para indicar até o candidato a governador.

Ricardo Coutinho age sorrateiramente na Câmara de Vereadores da Capital objetivando articular uma debandada da bancada de Cartaxo em direção à oposição e para tanto tem dialogado bastante com o presidente Durval Ferreira, considerado como o ponto de equilíbrio da relação Executivo/Legislativo, aquele que para onde pender arrasta a maioria e pode ser o vice tanto de Cartaxo quanto de Estela.

De sua parte o prefeito Cartaxo não passa recibo e aos olhos do grande público faz de conta que não sabe de nada, mas tem gente em todo lugar e até já consegue antecipar a próxima jogada do governador.

Resta saber quanto tempo ainda durará essa encenação, pois todo mundo sabe que no bastidores a Secom estadual botou seus cachorrinhos nos calcanhares do prefeito e a ordem é bater o dia todo na gestão.