Fale Conosco

O secretário de Turismo de João Pessoa, Bruno Farias, pediu que os paraibanos façam uma “vigília democrática” até o próximo domingo, quando será realizado o segundo turno das eleições 2014. O apelo do auxiliar de Luciano Cartaxo ocorre porque, segundo ele, as denúncias de abuso de poder econômico estão cada vez mais crescentes contra a coligação “A força do trabalho”, encabeçada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato à reeleição.

“Diante de tantas denúncias de abuso do poder econômico e do uso indiscriminado e despudorado da máquina administrativa estatal (utilizando-se presidiários em atividades eleitorais, comprovando-se a distribuição massiva de cheques do Empreender, a imposição para que funcionários públicos estejam presentes em eventos da campanha, sob pena de serem demitidos sumariamente e outros atos absolutamente repudiáveis), convoco, em nome da cidadania e da democracia, na luta por eleições limpas, todos os paraibanos, para que, na Paraíba inteira, e, principalmente, na grande João Pessoa, possamos fazer, até o próximo domingo, uma vigília democrática, ocupando os bairros de nossas cidades, aliando-nos à Justiça Eleitoral e à Polícia Federal no combate à compra de votos”, disse.

Bruno Farias pediu, também, para que a maior quantidade possível de voluntários para que, com motos, automóveis ou mesmo com um olhar mais atento em suas próprias ruas, tanto durante o dia, quanto durante as madrugadas, as pessoas possam auxiliar os órgãos competentes na fiscalização e na guerra contra o poder do dinheiro.

“Vamos nos impregnar desse espírito cívico, nos organizar e empreender essa luta em todos os bairros, para que, em suas entradas, saídas e em seus interiores, estejamos, 24H por dia, presentes, sendo os olhos e os ouvidos da Justiça e da Democracia. Vamos nos juntar, pois a nossa união, a nossa mobilização, a nossa organização e o nosso compromisso com o futuro do nosso Estado serão de fundamental importância para o êxito dessa vigília democrática”, ressaltou.

O convite de Bruno se estende também aos servidores públicos que estão mais próximos da máquina pública. “Eu faço, então, um convite a cada liderança de bairro, a cada servidor público que foi perseguido por esse governo, a cada prestador de serviço que foi injusta e impiedosamente demitido por esse governador, a cada pessoa que se sente ultrajada com a precariedade dos serviços de saúde, de educação e de segurança, convido a todos a se aliarem a esse nosso chamamento e a se engajarem nessa vigília democrática, estando de olhos bem abertos para toda e qualquer atitude suspeita, a fim de que a soberania do voto triunfe sobre a tentativa de fraudar as eleições”, finalizou.

BG