Fale Conosco

A defensora pública Gercilena Sucupira Meira e sua secretária Maria Goreth Guimarães Sobreira se tornaram rés em um processo criminal em que são acusadas de cobrar R$ 3 mil para defender uma mulher em uma ação judicial de usucapião em Campina Grande. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público da Paraíba e aceita por unanimidade pelo Tribunal de Justiça da Paraíba em decisão publicada ontem (22).

De acordo com a denúncia, a defensora e secretária cobraram R$ 3 mil a uma mulher para dar sequência ao processo judicial, indicando uma ação de usucapião seria a solução para resolver um problema envolvendo um terreno que a mulher havia recebido como herança.

Após uma breve negociação a vítima conseguiu diminuir o valor cobrado e efetuou o pagamento de R$ 1.800 para realização do serviço.

A secretária da defensora recebeu ainda a quantia de R$ 700 de uma outra mulher para providenciar uma escritura de cessão de direitos por ter adquirido dos irmãos um bem constante em inventário. Os fatos denunciados pelo Ministério Público teriam acontecido nos anos de 2014 e 2016, respectivamente.

O esquema só foi descoberto após as duas vítimas tomarem conhecimento de que defensores públicos não podiam cobrar por serviços prestados enquanto servidores públicos.

Da redação