Fale Conosco

Quando todos pensavam que Lula era o maior exemplo de mobilidade social no Brasil, eis que o Coletivo RC inova e transforma da noite para o dia um gari em mega empresário da área de locação de equipamentos para coleta de lixo.

O CORI-GATE, como se convencionou chamar esse escândalo protagonizado pelo irmão do governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho, é o que o há de mais devastador no que se refere à desmoralização do Coletivo RC.

Provas pblicadas na coluna de Clilson Júnior no Clickpb comprovam que o irmãozinho do governador andou sujando as mãos com dinheiro público.

Como pode um gari que ganha 600 reais erguer da noite para o dia uma empresa de locação de caminhões para limpeza urbana com patrimônio avaliado em milhões e se habilitar e vencer uma licitação na EMLUR no valor de 633 mil reais?

São tantas evidências e uma certa displicência que em um primeiro momento pensei que fosse brincadeira.

 Mas, ponderem, se Coriolano faz e desfaz, inclusive citado como o responsável pela vinda da SP Alimentação pra João Pessoa, é porque tem cobertura.

O mínimo que se espera do prefeito Luciano Agra é a prudência de afastar o irmão do governador do cargo até que prove ao contrário o que qualquer um neste momento ta presumindo: foi ele quem “armou tudo” e fez do gari Magildo Nogueira Gadelha um empresário.

Cabe a Câmara convocar Coriolano e o gari para uma acareação. O resto até um delegado novato sabe o que fazer.

O Coletivo RC definitivamente virou um caso de Polícia. Só que essa sensação de impunidade me preocupa.