Fale Conosco

O presidente do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), Rogério Magliano, lamentou as recentes denúncias envolvendo profissionais de saúde que não trabalham na linha de frente contra a covid-19 e que teriam furado a fila de prioridade da vacinação. Rogério disse que, caso seja comprovado, os médicos poderão até perder seu registro.

Se for provado que algum médico se valeu da posição para tomar o imunizante antes do grupo prioritário, ele pode ser advertido, ter o registro suspenso por 30 dias ou na pena mais grave, ter o registro cassado.

“Lamentavelmente se isso aconteceu é um desserviço a democracia. Não falo isso de maneira clichê, demagógica. Somos todos cidadãos, nesse momento de crise mundial é absolutamente imoral alguém querer passar na frente dos outros, todos nós estamos nivelados de maneira horizontal. Não deve ter nenhum tipo de privilégio”, declarou o presidente do CRM-PB.