Fale Conosco

A Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga fake news aprovou, nesta quarta (25), requerimentos de convocação de empresas e pessoas que prestaram serviços para a campanha do presidente Jair Bolsonaro em 2018.

Representantes das quatro firmas citadas em reportagens da Folha sobre o envio em massa de mensagens por WhatsApp foram convocados. São elas: Quickmobile, Croc Services, SMS Market e Yacows. A CPMI convocou ainda os responsáveis pelas empresas CA Ponte e Enviawhatsapp.

O representante do WhatsApp no Brasil também foi convocado pela CPMI, assim como os de Facebook, Twitter, Google e YouTube.

Rebecca Félix da Silva Ribeiro Alves, que hoje é assessora do Palácio do Planalto, também foi convocada. Ela trabalhou durante a campanha na casa do empresário Paulo Marinho, que à época apoiava Bolsonaro.

A informação é da coluna Painel da Folha de São Paulo.

Da redação