Fale Conosco

A partir do dia 28 de agosto, a conta de energia dos paraibanos que residem em municípios atendidos pela Energisa Paraíba deverá ter um aumento de 20,83%. O reajuste foi aprovado na manhã desta terça-feira (26) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A Energisa havia solicitado um reajuste de 27,23% no início de agosto.

Ao todo, 1,3 milhão de domicílios de 216 municípios, incluindo cidades da Grande João Pessoa, irão sofrer o reajuste. Seis municípios atendidos pela Energisa Borborema — Boa Vista, Campina Grande, Fagundes, Lagoa Seca, Massaranduba e Queimadas — não terão reajuste, uma vez que a revisão tarifária da companhia é aprovada em fevereiro. Moradores de Pedras de Fogo, que são atendidos pela Celpe (PE), também passam ilesos pelo aumento.

De acordo com a Aneel, o fator decisivo para o percentual de reajuste foi a compra emergencial de energia junto às termelétricas devido ao baixo nível das hidrelétricas, que produzem energia a um custo menor. O mesmo aconteceu com outras distribuidoras de energia no Brasil. Custos referentes à transmissão de energia e os encargos setoriais também contribuíram para o aumento.

O presidente da Energisa, André Theobald, afirmou, em coletiva no dia 18, que do aumento de 27,23% proposto pela distribuidora, 24,2% referiam-se a custos não-gerenciáveis. Esses custos recaem sobre a produção e transmissão de energia elétrica e não são de responsabilidade da Energisa, que apenas repassa a conta para os consumidores.

O reajuste de 20,83% irá recair sobre usuários residenciais (classe B1). Outras categorias de consumo sofrerão reajustes entre 21,43% e 22,75%. O aumento é calculado a partir da variação de custos que a Energisa teve ao longo do ano, considerando custos de distribuição com aumento medido pelo IGP-M e custos que não acompanham o índice inflacionário, como a compra de energia.

JP