Fale Conosco

Após a morte do presidente do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) na Paraíba, o senador José Maranhão, o comando do partido deverá migrar para o vice-presidente, Roberto Paulino. A probabilidade é que ele assuma a direção da legenda nos próximos dias.

Porém, Paulino declarou que, no seu entendimento, não há problemas se o senador paraibano Veneziano Vital do Rêgo, que retornou à sigla recentemente, lidere. Uma nova eleição para a presidência do MDB ocorrerá no mês de julho.

Perguntado sobre os rumos do partido, Roberto Paulino, disse, em conversa, que a legenda caminhará normalmente. “Com essa chegada de Veneziano e da senadora Nildinha, só vem fortalecer ainda mais. A gente lamenta o ocorrido, porque realmente é uma perda irreparável de José Maranhão, mas vamos tocar, procurar fazer o melhor”, comentou.

De acordo com o emedebista, ele sempre procurou fazer a sua parte para “pacificar o MDB”. “Eu creio que Veneziano e Nildinha terão um papel importante nesse processo de soerguimento do MDB. A nossa relação com eles é a melhor possível. É boa. E só temos a somar. Inclusive, está previsto um encontro nosso hoje. Eu, Raniery com Veneziano só para tratar de alguns assuntos”, ressaltou. 

Paulino ainda garantiu que, caso o senador Veneziano Vital queira assumir o MDB, jamais criará problemas. “Hoje, amanhã, eu tenho que assumir o MDB. A cinco dias. É normal, eu sou o vice, mas não quer dizer que eu serei eternamente vice. Da minha parte, eu quero sempre fazer o melhor para o partido. Esse sempre foi meu lema. Se Veneziano quiser ser o presidente, não tem problema nenhum”, destacou, frisando que outras reuniões devem acontecer, mas não revelou os detalhes. 

As declarações foram dadas por Roberto Paulino em conversa com o portal ClickPB.