Fale Conosco

 

Após perseguição à servidores e descumprimenro de decisão judicial, o atual governo estadual vai carregar mais uma morte de servidor nas costas.

Um servidor do IASS, antigo IPEP, se matou no domingo por não conseguir pagar as dívidas desde que Ricardo Coutinho resolveu cortar o beneficio que faz parte do PCCR de tantas pessoas que trabalham há anos e agora tiveram um direito corrompido por uma atitude ditatorial.

Leia a nota enviada pela presidente do Sindicato dos servidores do IASS:

“Sou representante dos funcionários do IPEP e estamos passando por uma situação difícil. Lutamos vários anos por um direito e quando conseguimos, nos foi retirado bruscamente sem ao menos o direito de defesa. Agora estamos com uma decisão judicial ao nosso favor e Governador da Paraíba desobedece a Justiça! Não acata ordem da Juíza Maria de Fátima Lúcia Ramalho. 

Se o governo não obedece às decisões, então para que a gente recorrer a justiça?

Se o governo pode recorrer a tudo que tem direito, que recorra, mas cumpra as ordens do poder judiciário. Nós funcionários estamos esperando desde janeiro pois fomos pegos de surpresa em ato degradante que prejudicou nossas vidas e nos deixou em situação de humilhação perante nossos compromissos financeiros, já que estávamos adaptados a um padrão remuneratório conquistado após longa batalha judicial que se iniciou em 2001, a qual, quando corretamente implantada, deu-nos a garantia de que desfrutavamos direitos decorrentes de coisa julgada e que ninguém, sem o devido processo legal, teria coragem de afrontar a justiça paraibana e revogar sumariamente, em ato secreto, o que fora objeto de longa tramitação judicial, inclusive no Tribunal de Justiça, do Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal.

A conseqüência disso tudo causou morte de quatro colegas que não agüentaram a pressão e o último enforcou-se neste sábado passado (16.07.11). Apelamos que a justiça seja feita.

Tânia Maria Bezerra da Costa.

Presidente do SINSIPEP”