Fale Conosco

 

Após solicitar as Tropas da Força Nacional de Segurança Pública, o grupo de Ricardo Coutinho resolveu afrontar os grevistas e formulou o pedido de decretação de ilegalidade da greve ao Tribunal de Justiça Estadual, na tarde de ontem.

Segundo a procuradora Livânia Farias, além de ilegal, a paralisação dos policiais é abusiva e, por isso, está acionando a Justiça contra algumas entidades, entre elas a caixa Beneficente dos Oficiais e Praças, o Clube dos Oficiais da Polícia Militar, a Associação de Cabos e Soldados e a Associação dos Inativos da Polícia Militar.

Os grevistas também estão sendo acusados de vandalismo e destruição do patrimônio histórico-cultural, colocando cartazes, faixas e até bonés nas esculturas da Praça João Pessoa. Além disso, os manifestantes estariam soltando bombas de forte impacto que podem danificar a área.

Nesta quarta de fogo, a greve dos policiais chega 48h e os números já assustam. Dez carros foram roubados até a noite de ontem e três pessoas foram vítimas de tentativas de homicídio durante a madrugada, no centro de João Pessoa. Os feridos foram levados para o Hospital de Emergência e Trauma da Capital.

Um jovem de apenas 15 anos foi ferido a bala por volta das 21 horas no conjunto Jardim Veneza e morreu dentro de um veículo no momento em que estava sendo socorrido para o Hospital. Ao chegar em frente ao Quartel do Corpo de Bombeiros, o motorista decidiu parar o carro para pedir ajuda e o jovem acabou morrendo no banco traseiro do veículo. O rapaz contou que gritou várias vezes pedindo socorro, mas ninguém do Corpo de Bombeiros apareceu para lhe ajudar.

Espero que nas próximas horas o embate entre governo e grevistas não tome proporções ainda mais assustadoras.