Notícias

Cirurgia na ex-primeira-dama Marisa Letícia é bem-sucedida

O cateterismo feito pela equipe médica do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na ex-primeira-dama Marisa Letícia, 66, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) nesta terça-feira, foi bem-sucedido, segundo o hospital e uma fonte ligada à família dela. O principal objetivo era estancar o sangramento no cérebro provocado por um aneurisma (dilatação anormal de um vaso sanguíneo).

Agora, a ex-primeira-dama, que ainda continua em estado grave, vai para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde deverá ficar por até três dias. A evolução da recuperação vai determinar quando ela irá para o quarto. Os médicos não observaram nenhuma sequela até o fim do procedimento, mas a existência de dano e sua extensão só poderão ser avaliados após esse período na UTI.

O cardiologia Kalil Roberto Filho, que atende há anos a família Lula, afirmou que o quadro de saúde da ex-primeira-dama Marisa Letícia é estável, mas que ela ainda corre risco de vida.

“O procedimento foi um sucesso. Conseguimos estancar o sangramento. O estado é estável do ponto de vista clínico. O risco (de vida) sempre tem num quadro como esse”, disse o médico.

O procedimento durou cerca de uma hora e meia. O cateterismo consiste em colocar um catéter (uma espécie de tubo flexível) no corpo, a partir da virilha e até o cérebro, onde, por meio dele, é possível estancar o sangramento. Durante todo o tempo, a ex-primeira-dama ficou sedada e entubada.

Marisa, que é hipertensa, teve um pico de pressão de 23 por 12 na tarde desta terça-feira. Ela foi rapidamente levada ao hospital Assunção, em São Bernardo do Campo, onde foi diagnosticado o AVC. Depois, devido à gravidade da situação, ela foi transferida ao Sírio-Libanês, onde Kalil trabalha. Lula, que estava em São Paulo em um ato da Central Única dos Trabalhadores (CUT), chegou antes dela ao hospital.

Fonte: Veja.com