Notícias

DESAFIO: Cássio rebate Veneziano e Tatiana, mas esquiva-se da comparação de quem fez mais por Campina

As voltas com tantas mudanças bruscas na vida pessoal, o senador Cássio Cunha Lima estava hibernando, mas acordou e resolveu fazer jus aos mais de um milhão de votos que recebeu dos paraibanos e também voltar a se envolver na disputa paroquial em Campina Grande.

Cássio rebateu Veneziano e Tatiana dizendo ser imaginável alguém comparar os oito anos do cabeludo com os vinte e dois em que os Cunha Lima comandaram Campina.

Veneziano e Tatiana desafiaram Cássio e Romero Rodrigues a provar quem fez mais pela cidade.

Apesar de topar o tema e polarizar a disputa política, Cássio foi muito genérico e evitou comparar de fato quem fez mais.

“Esse é um debate que não tem graça. Ele [Veneziano] insiste em fazer comparações que são desmedidas até por uma questão de tempo. É inimaginável você acreditar que alguém com oito anos de trabalho teria a capacidade de fazer mais do que quem esteve por um período mais longo”, frisou o tucano, que foi prefeito por três mandatos.  

Cássio saiu pela tangente e evitou apontar uma lista de ações importantes capazes de fazer frente ao canteiro de obras comandado por Veneziano nesses oito anos.

Se Cássio dissesse que abriu avenidas, Veneziano diria que o Vias Abertas asfaltou centenas; se Cássio apontasse o Parque do Povo, Veneziano apontaria a Feira da Prata, o Plínio Lemos, o Terminal de Integração, a Vila do Artesão, o fim do lixão, e, finalmente, a reforma do Parque do Povo com esgotamento, banheiros e novo piso. 

Mas, se Cássio quisesse levar o debate para o quesito funcionalismo, levaria um banho, pois Veneziano desprecarizou a relação trabalhista, realizou concursos e vem implantando os planos de cargo, carreira e salários.

Outra boa comparação: quem fez mais pela saúde? Outra sinuca de bico para Cássio, pois Venenziano tem uma lista extena de ações nesse setor, incluindo-se a abertura de hospitais, o que há 40 anos não acontecia na cidade.

Restaria a Cássio dizer que fez o viaduto como governador, o que Veneziano não poderia competir, pois ainda não ocupou este cargo que os Cunha Lima ocuparam por quase três mandatos com Cássio e Ronaldo. E mesmo assim, a utilidade do viaduto é questionável.

Entretanto, o desafio de Veneziano foi para quem fez mais por Campina Grande como prefeito, já que os Cunha Lima administraram durante um longo período de 22 anos e ele por apenas sete e alguns meses.

Não há como fugir desse tema plebiscitário de quem fez mais por Campina e a entrada de Cássio no jogo político acentua a polarização dele com Veneziano, de Romero com Tatiana.

Desafio posto: Cassío, quem fez mais por Campina? Veneziano em oito ou os Cunha Lima durante vinte e dois anos?

O senador disse que a comparação “não tem graça”. Realmente para ele não tem. Talvez tivesse se a administração dele pelo menos se igualasse a gestão de Veneziano. Como o tucano sai perdendo, não vê graça.