Notícias

Cássio diz que Ricardo não cumpriu metas do IDEB

O candidato Cássio Cunha Lima (PSDB), mostrou, durante o último debate  promovido pelo Sistema Paraíba de Comunicação (TVs Cabo Branco e Paraíba), na noite desta quinta-feira (23), que o atual governador Ricardo Coutinho (PSB) cometeu dois graves erros em relação ao setor educacional: além de não ter conseguido cumprir as metas do IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – promoveu um grande retrocesso na autonomia da UEPB- Universidade Estadual da Paraíba, que hoje vive sua maior crise financeira.

Cássio lembrou que, em 2007, a Paraíba tinha como meta atingir a nota de 3,1 e o resultado alcançadojá foi de 3,5. Vale lembrar que dois anos antes, a educação na gestão tucana alcançou o índice estabelecido pelo IDEB. Em 2009, com a meta na nota 3,4 a Paraíba estava com 3,7.

Mesmo nos anos de 2011 e 2013, sob a responsabilidade do atual governo os números já são preocupantes, pois se nos índices anteriores, a Paraíba ultrapassou muito as metas estabelecidas, atualmente se está no limite da meta.
Já nos anos finais do ensino fundamental, o Estado não conseguiu sequer atingir a meta. Em 2011, a meta era 3,0 e a Paraíba ficou com 2,9. Em 2013, com a meta de 3,4 a nota alcançada foi de apenas 3,0. Infelizmente, por causa da falta de um projeto consistente para a educação, o governo da Paraíba além de não fazer avançar a nossa qualidade de ensino, fez pior, retroage nas conquistas alcançadas.

Com relação ao ensino médio, os resultados também não são nada animadores. De uma nota acima da meta em 2008 e em 2009, a Paraíba, em 2013 apenas repetiu a nota de 4 anos atrás, 3.0, contra uma meta que era de 3.2.

UEPB

Cássio lamentou que a UEPB, que conquistou sua autonomia em seu governo, passou por um processo de expansão e agora vive uma crise e retrocesso no atual governo. O candidato tucano desmascarou o seu adversário, mostrando que nada do que afirmou em termos de ajuda e desenvolvimento seria confirmado por um professor, servidor ou aluno da instituição.

A crise é tão gritante que até papel está faltando para fazer as provas dos universitários, lembrou Cássio. Os laboratórios estão sem funcionar plenamente e, recentemente, a direção enviou um ofício ao governador do Estado cobrando uma decisão do Executivo para que possa viabilizar efetivamente a continuidade das atividades da instituição.

“Lamentavelmente há sim, um retrocesso na autonomia e sequer um diálogo existe; não há espaço para negociação. O meu compromisso com a UEPB será o de devolver a real autonomia, garantir um orçamento compatível com as necessidades da universidade, que no meu governo esse orçamento cresceu em 250%”, destacou.

Cássio lembrou ainda da expansão da UEPB promovido em sua gestão para a capital, João Pessoa, Patos, Monteiro e Catolé do Rocha e o ex-governador José Maranhão continuou com a expansão levando a universidade para o município de Araruna, onde vive também uma grande crise.

O tucano também mostrou que, de todas as ações, que conseguiu realizar na área da Educação, como levar o ensino médio para todos os municípios, implantar o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério, formar parcerias com o Instituto Airton Sena e o cumprimento das metas do IDEB, o atual governo só fez retroceder nessa tão importante área do Estado.

Wscom