Fale Conosco

Foram fazer um giro e fizeram um jirau. Às vezes a vontade de agradar atropela as pessoas e na pressa de tentar ajudar o prefeito Luciano Agra a desfazer o angu de caroço que se meteu com essa pendenga da desapropriação ou não do Aeroclube, acabaram ressuscitando na mídia o escândalo da Fazenda Cuiá.

Não vou me meter na notícia, apenas repercutir o que foi publicado em duas notas hoje em um certo blog:

“O prefeito Luciano Agra (PSB) foi ao Conexão Arapuan, da TV Arapuan, na noite desta segunda-feira para se justificar sobre a ação da prefeitura no Aeroclube do Bessa. Reafirmou a intenção da prefeitura de tirar o empreendimento do local para construção do Parque, bem como a crença de que fez tudo com respaldo legal, mas saiu de lá pensando em outra desapropriação polêmica: a da Fazenda Cuia.

É que o jornalista, advogado e marqueteiro, Carlos Roberto de Oliveira, um dos participantes do programa, trouxe uma informação que pegou até o prefeito de surpresa. Ele declarou que o servidor da Prefeitura Municipal de João Pessoa, Gustavo Pessoa, teria se retratado diante do Ministério Público, desmanchando todas as denúncias que foram feitas no processo de desapropriação da Fazenda Cuia, no Valentina. Entre elas, superfaturamento no valor de R$ 11 milhões e agilidade no processo.

A denúncia foi levada ao Guia Eleitoral de José Maranhão (PMDB) como forma de escândalo. Carlos Roberto de Oliveira foi um dos consultores da campanha de Maranhão em 2010 e acompanhou a construção da denúncia de perto. No Conexão Arapuan, ele próprio declarou que fora informado da retratação do servidor.

 

“Ele negou tudo e ainda disse que tinha toda satisfação e admiração pelo prefeito Luciano Agra e por Ricardo Coutinho”, disse Carlos Roberto de Oliveira. A declaração caiu como um raio. Para o prefeito, que declarou: “Nunca acreditei que ele (Gustavo Pessoa) faria o contrário e saio ainda mais aliviado desse programa”. E também para a oposição a Agra e a Ricardo Coutinho que já anunciou interpelação ao procurador-geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro.

 

Gustavo Pessoa prestou depoimento ao Ministério Público no dia 28 de outubro de 2010, numa quinta-feira antes das eleições, no auge do segundo turno da campanha pra governador. Ele deixou o local sem dar entrevista à imprensa. O procurador Otávio Paulo Neto também saiu sem falar com os jornalistas.

 

Há uma obrigação de se remexer esse assunto. Agora, por outro prisma.”

 

VERSÃO 2

No Twitter, denunciante do caso Cuiá desmente o desmentido

 

“Pivô das denúncias da desapropriação da Fazenda Cuia, Gustavo Pessoa recorreu ao Twitter deste humilde blogueiro para desmentir a informação repassada ontem pelo ex-consultor de marketing da campanha de José Maranhão, professor Carlos Roberto de Oliveira, de que teria se retratado junto ao Ministério Público, retirando todas as acusações feitas contra o prefeito Luciano Agra e o então candidato ao governo Ricardo Coutinho.

 

Gustavo Pessoa diz que a notícia é improcedente, mas não quis dar detalhes alegando que o processo está sob segredo de Justiça. “Afirmo que não fui convocado pelo MP, e o caso continua em segredo de justiça. Não procedenco de forma alguma essa noticia”, declarou Gustavo, que trabalhou para prefeitura de João Pessoa.

 

“Portanto que seja retratada essa noticia e me reservo no direito por determinação do MP de não mais tocar no assunto”, completou.

 

Afinal, qual é a verdade? Com a palavra, o Ministério Público Estadual.”