Fale Conosco

Enquanto o governador aperta o orçamento para fazer caixa e brincar de poderoso, na vida real as coisas não param de acontecer.

As tesouradas de RC no orçamento causam reações e na ponta do dominó sempre está o povo padecendo.

Leiam com  atenção esta notícia que saiu em um site lá de Patos.

Um caso raro de irresponsabilidade foi constatado esta semana em Patos. Garis que fazem a limpeza pública da cidade encontraram no lixão da cidade uma perna de ser humano ao despejar o lixo no referido local. O membro foi colocado junto com os dejetos normais recolhidos nas residências o que é considerado ilegal e imoral.

O membro veio do Hospital Regional de Patos. Até o momento, os responsáveis por tamanha imoralidade não foram identificados, apesar do diretor do Hospital Regional de Patos, Eliseu de Melo Neto, admitir a falha.

Assustados, os garis ligaram para o secretário de Meio Ambiente, Sebastião dos Santos Lima, que de pronto, foi até o local, e pediu providencias ao HRP. “Não se pode admitir tamanha falha de colocar em risco a saúde da população”, disse ele. Sebastião disse que esta semana já se reuniu com o diretor para pedir providências urgentes.

O lixo hospitalar é recolhido por uma empresa terceirizada que trabalha nos três hospitais de Patos. Este material é recolhido de forma separada e apropriada e colocado em local específico onde não leve risco à saúde pública. Foi o que não aconteceu.

O médico Eliseu admitiu a falha e prometeu abrir sindicância para apurar o descaso garantindo que deverá punir os responsáveis por entender que questões como esta devem ser tratadas com seriedade. Ele disse que o fato pode ter sido ocasionado por algum funcionário novato menos desavisado.

O caso denunciado pelo Programa Cidade em Debate da Rádio 102 FM ganhou grande repercussão na cidade. Nas ruas, os populares se mostraram perplexos e indignados com tamanha irresponsabilidade. 

Para piorar a situação, a reportagem do Programa foi procurada nesta quarta-feira por uma popular, Simone Bernades, que disse que tinha certeza que a perna era de seu pai. 

Ela se mostrou indignada, pois quando na segunda-feira da semana passada seu pai teve a perna amputada no HRP, ela afirmou que teria perguntado ao médico o que o Hospital iria fazer com o membro já que a família tinha interesse em enterra-lo. O médico teria respondido que isto era assunto para direção do HRP.

Chorando muito e se mostrando revoltada, Simone disse que seu pai de 94 anos não merecia tamanha falta de consideração. Ela disse ter certeza que a perna encontrada era a de seu pai pelo fato ter ocorrido em dias próximos à amputação. A direção do HRP, porém, não confirmou a suspeita da popular.

Em entrevista ao programa Cidade em Debate, o vereador Almir Mineral se mostrou indignado e disse que tamanha irresponsabilidade merece apuração e punição. “Vamos acionar o Ministério Público para que tome as devidas providências. Hoje é uma perna, amanhã é um corpo ou uma cabeça”, disse ele.