Fale Conosco

Os candidatos Cícero Lucena (PSDB), Walber Virgolino (Patriotas), Ricardo Coutinho (PSB) e Carlos Monteiro (Rede) precisam redobrar a atenção na hora gastar na campanha deste ano à Prefeitura de João Pessoa. Isso porque os quatro têm mais de um milhão de reais declarados à Justiça Eleitoral. Na Capital, cada candidato pode gastar até R$2.808.392,83, de acordo com a Lei 9.504/1997, limites que estão disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral.

Segundo a Lei das Eleições (artigo 18-C), o limite de gastos das campanhas dos candidatos a prefeito e a vereador, no respectivo município, deve equivaler ao limite para os respectivos cargos nas Eleições de 2016, atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou por índice que o substitua. Para as eleições deste ano, a atualização dos limites máximos de gastos atingiu 13,9%, que corresponde ao IPCA acumulado de junho de 2016 (4.692) a junho de 2020 (5.345).

Quem desrespeitar as regras de gastos fixados para cada campanha pagará multa no valor equivalente a 100% da quantia que ultrapassar o teto fixado, sem prejuízo da apuração da prática de eventual abuso do poder econômico.

Nas campanhas para segundo turno das eleições para prefeito, onde houver, o limite de gastos de cada candidato será de 40% do previsto no primeiro turno.

Veja a declaração de bens de cada candidato:

Anísio Maia (PT) – R$249.896,04

Carlos Monteiro (Rede) – R$1.103.247,60

Cícero Lucena (PP) – R$1.867.828,46

Edilma Freire (PV) – R$168.471,61

João Almeida (Solidariedade) – Não declarou bens

Nilvan Ferreira (MDB) – R$15.000,00

Pablo Honorato (PSOL) – Não declarou bens

Raoni Mendes (DEM) – R$563.762,00

Ricardo Coutinho (PSB) – R$1.591.918,71

Ruy Carneiro (PSDB) – R$649.968,67

Wallber Virgolino (Patriotas) – R$1.074.568,58