Notícias

Campina Grande é a cidade da Paraíba que mais gera empregos formais, segundo o Ministério do Trabalho

Esse número representa 80,7% de todos os empregos formais gerados na Paraíba no mesmo período.Ou seja, enquanto Campina está indo bem, o estado vai mal

Campina Grande é, atualmente, a cidade paraibana onde mais se geram empregos formais, com carteira assinada. A constatação está nos mais recentes dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.

Segundo o Caged, Campina Grande gerou, em outubro deste ano, 2.691 admissões, contra 1.274 demissões, o que proporcionou à cidade um saldo positivo de 1.417 novos empregos com carteira assinada.

Para se ter uma ideia de comparação, a capital João Pessoa ficou em 12.º lugar no ranking paraibano das cidades geradoras de emprego, com 5.427 admissões e 5.461 demissões, o que gerou um saldo negativo de 34 empregos a menos na capital do Estado.

Call Center liderou – Segundo os dados do Caged, a maior geradora de empregos este ano em Campina Grane foi a empresa AeC Call Center, atraída para a cidade graças a uma ação da Prefeitura de Campina Grande, que doou a área para a implantação da unidade, proporcionou incentivos fiscais, além de toda a logística de recrutamento, treinamento e capacitação dos contratados.

Sozinha, a AeC Call Center contratou desde a sua implantação na cidade cerca de 5 mil profissionais, a maioria com carteira assinada em primeiro emprego. De acordo com o Prefeito Veneziano Vital do Rêgo, há boas perspectivas para a ampliação da empresa no ano que vem. “Na última conversa que mantive com os diretores da AeC obtive a garantia de que a empresa vai investir mais em Campina, ampliando sua atuação na cidade”.

Segundo Veneziano, os dados do Caged reforçam o trabalho da Administração Municipal em desenvolver uma política que atraia cada vez mais investimentos para a cidade. “Em nossa gestão tivemos a grata satisfação de atrair muitas empresas, proporcionando um aumento considerável na geração de emprego e renda”, afirmou Veneziano.

Campina sobe, Paraíba desce – Outra comparação a ser feita é com os dados da geração de emprego em todo o Estado. Enquanto Campina Grande cresce na geração de empregos, a Paraíba retrocede. No mesmo período em que Campina gerou 80,7% de todos os empregos da Paraíba, o Estado caiu 14,6% na geração de empregos formais.

No mesmo período em que Campina Grande sozinha teve saldo positivo de 1.417 novos empregos, a Paraíba gerou um saldo positivo de 1.754 postos de trabalho, representando o terceiro pior da série histórica para o período de 30 dias. Com estes dados, a Paraíba ficou atrás de estados como Alagoas (5.419), Ceará (3.934), Pernambuco (3.600) e Sergipe (3.139).