Fale Conosco

Os estudantes universitários e secundaristas estão sendo explorados pela entidade que se responsabilizou pela confecção das carteiras estudantis. A União Estadual dos Estudantes da Paraíba está cobrando pela correção das carteiras de estudante que são entregues aos estudantes com falhas na confecção.

Para começo de conversa, esta entidade já recebeu críticas da UNE (União Nacional dos Esttudantes) na ocasião de sua “fundação”, e a partir daí os desmandos começaram. A entidade cobrou, no início deste ano, pela primeira remersa das carteiras R$ 12, para a segunda remersa foi cobrado o valor de R$ 15. Terminado o prazo para a segunda remersa, o valor passou de R$ 15 para R$ 20, um grande salto.

Mas salto mesmo, ou assalto, é quando o estudante chega para receber a sua carteira e encontra o documento com seu nome e a foto de outra pessoa, e isso tem acontecido bastante, sabe qual é a reação da UEE? Avisar aos alunos universitários e secundaristas que eles terão que pagar mais R$ 5 para que a carteira seja refeita.

É absurdo que um estudante pague duas vezes pelo mesmo serviço, afinal, se a carteirinha foi confeccionada com a foto errada, a culpa não é do solicitante. Logo, quem deveria arcar com os custos da correção seria a entidade responsável. Mas não é isso que acontece e, mais uma vez, fico boquiaberto quando vejo a quantidade de pessoas que vê coisas erradas e paga para não reclamar.

Que democracia é esta? Que cidadãos são esses que aceitam a exploração para não ser olhado com cara feia? E se as carteiras são refeitas com cinco reais, por que cobram R$ 20 para confeccioná-las?

Vamos acordar estudantes, se vocês não começarem exigindo direitos em assuntos simples como uma carteira de estudante, como poderão exigir mais depois? Como vão lutar contra os desmandos dos ditadores que encontrarem pelo caminho?

Abram os olhos e não aceitem exploração. Fiquem ligados!