Fale Conosco

Confirmando que a área de segurança do governo anda batendo cabeça, a secretaria de Segurança, Polícia Civil e Polícia Militar estão brigando entre si pelo crédito das prisões realizadas em Campina Grande e que, talvez tenham tirado de circulação os marginais que estavam incendiando ônibus e aterrorizando a população.

Nada mais evidencia a falta de liderança do secretário Cláudio Lima do que esse desentendimento público entre as forças. Na base do cada um por si e cada um isoladamente querendo o crédito, quem perde é a sociedade, que, ao invés dessa disputa de egos, quer resultados.

Na nota da Associação dos Delegados (ADEPEL) eles dizem que “uma nota emitida pela Secretaria da Segurança e da Defesa Social, de forma totalmente equivocada, afirmava que as prisões teriam sido efetuadas em operação conjunta entre a Polícia Civil e Militar, o que não aconteceu, pois as prisões foram feitas exclusivamente pela Polícia Civil. Uma das ações mais gratificantes para o servidor público, é o reconhecimento. E aqui, esta Associação vem parabenizar todos os envolvidos pelo trabalho profícuo, e em especial, aos policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos de Campina Grande, que não mediram esforços para fazer seu trabalho e trazer a paz e a segurança de volta ao povo campinense.Diante do exposto, reiteramos nossa cobrança à Secretaria de Segurança para implementar, urgentemente, a já devidamente autorizada por nosso Governador, Delegacia de Repressão ao Crime Organizado para fortalecer o trabalho da Polícia Civil, e beneficiar nossa população. Destarte, a ADEPDEL reafirma o compromisso com o povo paraibano que sabe que pode contar com seu apoio e trabalho no momento de necessidade e urgência que qualquer cidadão deste Estado”.

Mais moderada e conclamando a integração de todos em prol da segurança do cidadão, a nota do Clube dos Oficiais pondera para o momento em que todos precisam enfrentar a escalada da violência de forma integrada.

NOTA DO CLUBE DOS OFICIAIS

“A ADEPDEL – Associação dos delegados – PB publicou uma NOTA DE ESCLARECIMENTO corrigindo uma nota da Secretaria de Segurança (SEDS), que destacou o resultado de uma operação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Militar, que culminou com a prisão de alguns criminosos, tendo em vista os últimos ocorridos que causou inquietação na população Campinense, com mortes e até incêndio a três ônibus.

Diz a nota da ADEPDEL textualmente: “No decorrer das investigações, foram trocadas informações entre as polícias civil, militar e federal, que colaboraram para o desfecho positivo, com as prisões efetuadas pela Delegacia de Roubos e Furtos”. Portanto, como afirmou a própria Secretaria de Segurança foi uma operação conjunta, integrada, que é a palavra mais pronunciada nos dias de hoje, quando se trata de Segurança Pública.

Deste modo entendemos que o Diretor Presidente da ADEPDEL está equivocado quando exige a exclusividade do reconhecimento apenas para uma instituição. Como num time de futebol, quando um jogador faz o gol o técnico ao final sempre elogia todo o time, pois o mais importante é a vitória.
Num momento em que todos buscam a integração para enfrentarmos uma crescente escalada de violência e de criminalidade, este tipo de atitude vai na contramão da história.

Senhor Presidente, a sociedade não está interessada se tal ou qual polícia cumpriu as suas atribuições. Ela, a sociedade, clama por mais segurança, venha de onde vier. Portando não podemos deixar de reconhecer e enaltecer também estes honrosos Policiais Militares e Bombeiros do Soldado ao Coronel Cmt de área Cel João da Mata, Cmt dos Batalhões Maj Gilberto/Maj Sergio e todo os abnegados policiais do 2º e 10º batalhão pelo esforço, dedicação e acima de tudo respeito a sociedade Campinense neste momento de extrema dificuldade.

Deste modo, a Secretaria de Defesa Social, na pessoa do seu titular, nada mais fez do que reconhecer o esforço dos órgãos do Sistema de Defesa Social, que de forma integrada, conseguiu efetuar algumas prisões na cidade de Campina Grande.

Outras operações e outras prisões Senhor Delegado ainda deverão ser realizadas, e cada vez mais as instituições policiais precisam atuar de forma INTEGRADA para minimizar a sensação de insegurança, que hoje é um dos grandes clamores da sociedade. Isto é o que importa.

Por fim, reafirmamos nossa lealdade com os companheiros da Policia militar/Bombeiros e Policia civil, bem como nosso compromisso com o povo Paraibano, buscando acima de tudo ofertá-los com uma melhor segurança, mesmo diante das dificuldades que nos são impostas.

FRANCISCO DE ASSIS SILVA – CEL PM

PRESIDENTE DO CLBUE DOS OFICIAS”