Fale Conosco

O Índice Bovespa subiu para o maior patamar de sua história nesta segunda-feira, 11, e fechou pela primeira vez em 74 mil pontos, diante de uma visão mais otimista em relação à política brasileira e com o cenário externo também mais favorável a ativos de risco.

O Ibovespa subiu 1,70%, a 74.319 pontos, máxima histórica. O dólar à vista fechou em alta de 0,39%, aos R$ 3,10,

 Os negócios repercutiram as prisões dos executivos da J&F ontem.  A Bovespa abriu em alta firme nesta manhã, renovando máximas até superar o patamar dos 74 mil pontos. Mais cedo, o Ibovespa ultrapassou seu recorde histórico intraday (antes do fechamento do pregão), de 73.920 pontos, e às 13h14 subia 1,98%, aos 74.529 pontos, com ajuda dos mercados externos.
Os investidores ficam atentos à prisão de Joesley Batista e Ricardo Saud, executivos do grupo J&F, que se entregaram ontem à Polícia Federal. O fato ameaça o acordo de leniência do grupo J&F, do qual a JBS faz parte e existe a leitura de que isso enfraqueceria a eventual nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer.
Um analista ressalta que entre os fatores que dão suporte para o clima positivo no mercado de ações está o reforço da perspectiva de continuidade de queda da taxa básica de juros, a percepção de que os eventos políticos têm se descolado do campo econômico e a sinalização do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante o feriado, de que a reforma da Previdência pode ser apreciada no mês que vem. “Diante disso e com um ambiente externo favorável, hoje há motivos para um dia positivo”, afirmou um operador.

Dólar.  O fortalecimento do real acontece diante do ambiente externo favorável e do otimismo do governo evidenciado na renovação do ímpeto reformista. O tom positivo está presente hoje no discurso do ministro Dyogo Oliveira (Planejamento), assim como esteve no discurso do ministro Henrique Meirelles (Fazenda) ontem.

No exterior, o enfraquecimento do furacão Irma nos EUA e a não realização de novos testes nucleares pela Coreia do Norte no fim de semana aumentaram a disposição do investidor estrangeiro em investir em ativos de risco. No início da manhã, o Centro Nacional de Furacões divulgou que o Irma foi rebaixado de furacão para tempestade tropical. 

Estadão