Fale Conosco

A diferença entre o Blog do Dércio e outros é que aqui as informações se confirmam e os grandes sistemas de comunicação publicam um mês depois o que noticiamos o mês passado. Nosso trabalho investigativo, que muitas vezes, anda mais rápido do que CPIs ou até mesmo MP e PF, serve de pista para uma operação ser deflagrada ou esclarece armações que tentaram vender como escândalo.

É o caso da trajetória curta, dos segundos de fama, da esquizofrenia por holofotes do “detrator premiado” Renam Trajano, vendido pelo marketing da gestão Romero Rodrigues como a última bala para exterminar a candidatura em ascenção vertical do ex-prefeito Veneziano, mas que o percurso, como antecipamos, transformou o homem bomba, no homem traque, uma bala que bateu catolé.

Detrator premiado por recursos do submundo da política, aquele que veio da gestão Cássio/Cozete e, funcionário da PMCG, também atuou no âmbito das finanças municipais da gestão Veneziano, foi à Câmara de Vereadores de Campina detratar magoado quem não quis bancar seus devaneios eleitorais, movido pela paixão avassaladora, hoje miscigenado com ódio e novas tentativas de levar vantagem em tudo. Renam não tem provas das acusações que faz e não tem por que, mente mesmo sob juramento.

Para que todos entendam de uma vez o que a gestão Romero Rodrigues tenta desviar com essa CPI da Última Bala, escolhi entre tantos descalabros administrativos um calote que o prefeito passou na empresa Jet Print Informática LTDA, conforme documento abaixo.

A Jet Print teria vendido R$ 20.638,20 em equipamentos de informativa a STTP e, por cansar de esperar pagamento, resolveu “em caráter irrevogável” solicitar a devolução, pois teria chegado a conclusão que levou um calote da Prefeitura de Campina e para diminuir o prejuízo, decidiu exigir a devolução da mercadoria.

Assim como a Jet Print, posso citar centenas de fornecedores indo à bancarrota pelos calotes promovidos na praça pelo prefeito e por seus auxiliares.

Durante um certo tempo a gestão Romero conseguiu enganar a todos com suas mentiras e o repasse da culpa para o antecessor, mas agora a máscara caiu e a incompetência veio à tona.

A CPI da Última Bala e o financiamento da farsa montada para levantar uma cortina de fumaça chegou ao seu momento agonizante e o “detrator premiado” vai perdendo sua importância pela inconsistência de suas denúncias e falta de provas.

A única coisa que o prefeito Romero Rodrigues conseguiu provar até agora é a sua incompetência administrativa e falta de vocação para o gerenciamento de uma cidade como Campina Grande.

E olha que acusamos com provas.