Fale Conosco

A Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel) é mais uma entidade a confirmar que houve a operação policial envolvendo secretários estaduais, fato denunciado nessa quinta-feira (25) pelo Fórum dos Servidores Públicos Civis e Militares ao Ministério Público. O caso trata de suposto pagamento de propina a auxiliares do governo estadual.

Na nota enviada pela Adepdel, a confirmação da operação vem no seguinte trecho: “Por derradeiro, registramos que durante todo transcorrer desses fatos os Delegados de Polícia Civil não sofreram qualquer tipo de pressão por parte das Autoridades Constituídas para agir ou deixar de agir ao arrepio de seu real entendimento”.

O caso da ocorrência da operação policial envolvendo os secretários também foi confirmado em nota oficial enviada à imprensa pela Secretaria de Comunicação na noite dessa quinta-feira, que ainda culpou o Ministério Público Estadual por não dar continuidade as investigações. Outro a confirmar a ação foi o secretário de Segurança, Cláudio Lima, que confessou ter mandado devolver o dinheiro do suposto esquema.

Segundo a denúncia, durante uma blitz de rotina a polícia teria interceptado um veículo modelo Fox, placas DYE-5922, que teria sido flagrado transportando a quantia de R$ 81 mil reais, sacada na Agência do Banco do Brasil de Benfica, no Recife. Ainda de acordo com a denúncia, ao lado da quantia os policiais teriam apreendido um papel com a orientação para a distribuição do dinheiro que seria entregue a Gilberto Carneiro, atual procurador geral do Estado, Livânia Farias, atual secretária de Administração, Coriolano Coutinho, irmão do governador Ricardo Coutinho, e Dra Laura Farias, da Sudema.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A ADEPDEL, entidade representativa dos Delegados de Polícia Civil da Paraíba, vem a público repudiar qualquer tipo de ilação fantasiosa que envolva os Delegados de Polícia Civil, categoria respeitada em todo o País, por sua postura ética e apolítica, relacionada aos fatos propagados sobre apreensão de certa quantia de dinheiro na Central de Polícia da Capital.

Quanto aos fatos, visando extirpar dúvidas dos cidadãos de boa fé, bem como aos que almejam desgastar a instituição Polícia Civil, fazemos os seguintes

1- Os Delegados de Polícia Civil da Paraíba não admitem qualquer tipo de interferência política, da sociedade ou imprensa nos trabalhos desenvolvidos, de modo que suas decisões são tomadas com seus livres convencimentos, amparos na legalidade;

2- Fazer qualquer tipo de juízo de valor nesse momento é politizar tais fatos e com isso a ADEPDEL não coaduna.

3- Por derradeiro, registramos que durante todo transcorrer desses fatos os Delegados de Polícia Civil não sofreram qualquer tipo de pressão por parte das Autoridades Constituídas para agir ou deixar de agir ao arrepio de seu real entendimento.

4- Os Delegados de Polícia Civil da Paraíba fizeram uma escolha, que é sempre agir com legalidade e ética, independente da cor partidária do Chefe João Pessoa, 26 de Setembro de 2014

A DIRETORIA – ADEPDEL

BG