Fale Conosco

O inesperado aconteceu em Santa Rita. Aquele que foi nomeado para botar ordem na casa, moralizar a orgia financeira da Prefeitura de Santa Rita, teria se deixado contaminar e poderá ser confundido com a bandalheira, jogando na lata do lixo da história uma carreira honrada no Ministério Público.

Falo do promotor aposentado Manoel Serejo, homem de bem, que talvez tenha cometido o maior erro de sua vida ao aceitar ser o chefe de Gabinete do prefeito do desastrado Reginaldo Pereira.

É que veio a público a informação de que a festa de sua posse no início de maio teria custado R$ 7.600,00. Mais grave ainda, o pagamento saiu no dia 15 de abril e ele foi nomeado em 1 de maio. Ou seja: pagaram quinze dias antes dele tomar posse, conforme empenhos abaixo.

Acho, digo acho, que o promotor não vai escorregar nessa casca de banana e deve exigir que os culpados sejam punidos. Fica evidente que alguém se aproveitou do evento para “fabricar” uma despesa.

E aí vem a grande pergunta. Quem? E mais uma vez a culpa cairá sobre aquele que tem feito todo tipo de trapalhada não já tão atrapalhada gestão Reginaldo. Justamente o rapaz que tem um apelido curioso, Calotinho do Adesivo, resolveu “pagar” antecipadamente uma festa de alguém que só seria nomeado quinze dias depois.

E agora promotor Manoel Serejo? Vai sujar as mãos ou pedir a cabeça do secretário de Comunicação?

Se fizerem uma devassa nas contas da Secom de Santa Rita nos últimos 90 dias, a casa cai. É desmantelo!