Fale Conosco

A quebra do sigilo bancário do senador Cássio Cunha Lima por ordem da ministra Rosa Weber, do STF, nos remete a conjecturar sobre um desfecho nada agradável para quem já foi cassado uma vez.

È que, caso seja constatado que houve depósitos do empresário Olavo Cruz,  também com o sigilo quebrado, e a origem desse dinheiro ser a que todos imaginam – os créditos imobiliários leiloados pelo Governo do Estado na Bolsa, segundo relatório sigiloso da PF -, Cássio estará em maus lençóis.

Quem não lembra do Caso Concorde, quando ao saber da presença da Polícia Federal o empresário Olavo Cruz jogou uma mala com mais de 300 mil reais da janela de seu escritório e lá foram encontrados centenas de contas de água e de energia de eleitores pagas?

Comprovado via extrato bancário que um depositou dinheiro para o outro, ou que Olavo recebeu depósitos dos arrematadores dos créditos imobiliários vendidos na Bolsa e que estaria irrigando a campanha de Cássio,  logo se concluirá que houve uma operação bem urdida de by pass e Cássio poderá ser chamado ao Conselho de Ética do Senado, onde poderá até perder o mandato, ou ser condenado pelo STF a ressarcir a Paraíba de um prejuízo que pode chegar a 40 milhões, aumentando assim o período de inelegibilidade por mais uma condenação colegiada.

É por essas e outras que quando Cássio faz tipo de paladino lá no Congresso dando bravatas eu sempre aviso a sua memória que quando ele teve a chance de fazer o certo, não fez e foi cassado.

Você sabe o que são créditos imobiliários, quanto valem e a quanto foram vendidos? Amanhã eu conto tudo.