Notícias

Após pular a fogueira do TCE, mais do que nunca a candidatura de Maranhão é imprescindível

Com todo respeito aos demais candidatos de oposição em João Pessoa, mas classifico como fundamental a candidatura de José Maranhão a prefeito da Capital pelo PMDB.

Não vejo demérito em um cacique do seu porte descer um degrau para arrebatar a prefeitura das mãos de Ricardo Coutinho e do mamulenguíssimo Luciano “maluquinho” Agra.

Quando se indigna com o desgoverno RC o pessoense logo se lembra de Maranhão e a isso se dá o nome de recall ou memória imediata.

Maranhão fez muito por esta cidade na condição de governador e parceiro de figuras como o também pré-candidato Cícero Lucena que, apesar de na época está em lado diferente, sempre foi tratado com respeito e deferência.

Hoje lá no TCE Maranhão pulou por apenas um voto a fogueira armada por RC e figuras como Nominando Diniz – cujos bilhetinhos para RC pedindo emprego guardo com carinho – que deveria ter tido a decência de repetir o gesto de Arthur Cunha Lima e sair àfrancesa, admitindo-se ululantemente suspeito.

Que Maranhão tome gosto pela candidatura e junte-se, mesmo que em raia separada, a Cícero e Cartaxo na missão de expurgar com sal grosso e milhares de votos os cupins que se aboletaram naquela árvore frondosa que é a Prefeitura de João Pessoa.  

Maranhão é necessário, bem-vindo e imprescindível. Que todo aquele que invocar sua idade como barreira receba o repúdio das gerações que acumularam experiência e gozam de maturidade para não cometer as loucuras de quem se dizia a renovação comete.

Responda rápido: que tipo de experiência você quer para João Pessoa? A bem sucedida e moderada ou a mal sucedida e arrogante?

Acho interessante a experiência de Maranhão finalizar na Capital sua carreira política. Por sua história sem máculas, apesar de mais de meio século de mandatos, vai querer fechar o ciclo com boas lembranças.

Em tempo: sobre o julgamento de hoje no TCE com placar de 3×2 em favor de Maranhão recebo seguite email do presidente do PMDB, Antônio de Souza:

GOVERNADOR RICARDO COUTINHO E LUZEMAR MARTINS, MENTIRAM SOBRE OS NUMEROS DA FOLHA DO ESTADO NA GESTÃO DE MARANHÃO 

Segundo o Tribunal de Contas do Estado, o Governador José Maranhão, em 31/12/2010, a folha do Poder Executivo era 50,16% da Receita Corrente Líquida, e não 57%, como afirmou o Governador Ricardo Coutinho. 

Está no Relatório do Conselheiro Flávio Satyro, que votou pela aprovação das contas de Maranhão de 2010, sem ressalvas, no que foi seguido pelos Conselheiros Arnóbio Viana e Humberto Porto.

Maranhão também cumpriu os índices de SAUDE 12,10%, quando o mínimo era 12%(doze por cento). Também cumpriu com a EDUCAÇÃO, aplicando  26,24%, quando o mínimo era 25%. O FUNDEB também cumpriu, 68% com pagamento de pessoal do Magistério, quando o mínimo era 60%.

Ou veio macho! ESSE É O VERDADEIRO FICHA LIMPA…!