Fale Conosco

Erwin Tumiri pode se considerar um verdadeiro sobrevivente. Na madrugada desta terça-feira (02), ele escapou com vida de um acidente de ônibus na Bolívia, que caiu cerca de 150 metros de um barranco, deixando pelo menos 21 mortos e mais de 20 feridos.

Mas esta não é a primeira tragédia que Erwin sobrevive. Em 2016, ele estava a bordo do avião da empresa LaMia, que transportava a equipe da Chapecoense quando caiu na Colômbia, resultando em 71 vítimas, a maioria jogadores do time de futebol.

O técnico de aviação foi entrevistado por diversos meios de comunicação bolivianos. Ele se dirigia à cidade de Chimoré, onde trabalha.

“O ônibus estava rodando, aí eu agarrei o banco da frente, sabia que íamos bater porque viajávamos em alta velocidade”, disse ele. Tumiri contou que o ônibus saiu por volta das 22h30 de segunda-feira e fez uma parada “estranha” logo depois.

Ele comentou ainda que o veículo estava se deslocando muito rápido na hora do acidente, logo os outros passageiros começaram a gritar, quando Erwin agarrou sua poltrona. “Continuei agarrado, não soltei até atingirmos o solo”, contou.

“Depois me arrastei para fora, sentei, meu joelho estava machucado, me sentei e disse, de novo, ‘não posso acreditar’”.
“Aí vieram nos resgatar, eu não estava inconsciente. Acho que fui o primeiro a ser levado para cima ”, relatou. “Eu me sinto abençoado, sempre dando graças a Deus ”, completou.

G1