Fale Conosco

O clima ‘azedou’ na cúpula da campanha do governador e candidato à reeleição, Ricardo Coutinho (PSB). O secretário de Articulação Política da Prefeitura de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio (PT), e o deputado federal reeleito, Efraim Filho (DEM), protagonizaram um ‘bate-boca’ em uma emissora de rádio na tarde desta quinta-feira (16) por conta da criação do comitê Ricardo – Aécio na Paraíba.

Adalberto Fulgêncio acusou o grupo político do parlamentar de agir contra a candidatura do governador. “Esse movimento puxa a campanha de Ricardo para baixo. Estão tirando o peso de 55% da rejeição de Aécio no Nordeste das costas de Cássio e colocando em Ricardo”, disparou.

Mais adiante, ele chegou a afirmar que o DEM tem convergências com o PSDB por defender políticas do governo FHC e não conseguir garantir a vitória de Ricardo Coutinho na região de Santa Luzia.

Efraim Filho cobrou de Adalberto Fulgêncio respeito a sua decisão, que segundo ele, já é público desde o primeiro turno das eleições. “Eu não vi ninguém desautorizar o comitê Dilma – Cássio e a criação do comitê Aécio – Ricardo é um entendimento de jovens que têm esperança na capacidade de gestão de Aécio Neves”.

O democrata disse também que as declarações do petista são ofensivas e desnecessárias. “Nós não podemos aceitar esse patrulhamento ideológico e isso só cria cisão na campanha, pois não estamos atacando ninguém. Agora não pode haver dois pesos e duas medidas”.

Os ânimos ficaram ainda mais exaltados quando Fulgêncio disse que o DEM não tinha moral para falar de escândalos políticos e ser rebatido pelo parlamentar. “Basta assistir ao Jornal Nacional para ver quem não tem não moral”, retrucou Efraim Filho.

BG