Fale Conosco

Para parabenizar o deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP) pela indicação ao cargo de Líder do Governo da presidente Dilma Rousseff o presidente do diretório do Partido dos Trabalhadores de Campina Grande (PT-CG) Alexandre Almeida revelou que esta indicação em muito contribuirá para a aproximação ainda mais do Governo Federal com a Administração Municipal. Alexandre aproveitou a oportunidade para cumprimentar o petista ao qual detém de uma amizade pessoal.

Segundo Alexandre, o deputado petista é um divulgador natural de nossa cultura em São Paulo e em Brasília. “Pode-se afirmar que Chinaglia adotou Campina Grande e resolveu dividir seu tempo em Brasília para batalhar também pelo povo daqui, em nome de uma união que se mostra fortalecida com o povo campinense”.

O dirigente petista destaca que Chinaglia é um grande amigo nosso e atuou no último juntamente com a bancada paraibana trazendo inúmeros benefícios para o Estado como as Emendas de Iniciativa Popular que estimulam o exercício da cidadania e dão poder de decisão para 65 milhões de brasileiros que moram em municípios de até 50 mil habitantes decidirem o destino de R$2,2 bilhões em ações voltadas para a saúde. “Na condição de líder de Governo Chinaglia tem um grande poder de articulação que pode contribuir em muito com a população campinense do qual recebeu título de cidadão e pretendo levar ao meu amigo petista e aos demais membros da bancada paraibana vários pleitos em prol da cidade”,  

Já respondendo como líder do governo na Câmara, Chinaglia adiantou como pretende articular as votações com os partidos aliados. “O primeiro parâmetro é a opinião do governo sobre cada tema. Segundo, você tem que consultar os partidos da base pra ver se tem algum problema em relação à primeira manifestação do governo. Se houver, tem que negociar primeiro com a base. Não implica em não negociar com a oposição, podemos e devemos negociar com oposição, mas se tem uma força organizada majoritária, isso facilita a negociação. Tem toda uma delicadeza que eu traduziria em uma única palavra: respeitar todos os envolvidos” – disse o novo líder que foi presidente da Câmara durante o governo Lula.

 

Assessoria