Notícias

Ainda na UTI, Marisa Letícia passará por nova tomografia hoje

A ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, passará por mais uma tomografia na manhã desta sexta-feira (27) para verificar se houve melhora na infecção que se formou em seu cérebro após o acidente vascular cerebral (AVC) da última terça (23). Ela segue internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, sem previsão de alta.

Os médicos que acompanham Dona Marisa pediram o novo exame para avaliar se o grau de infecção provocado pela hemorrogia cerebral melhorou ou piorou. Se tiver melhorado, a equipe médica vai tirar gradativamente o sedativo que mantém a ex-primeira-dama desarcadordada. Caso contrário, ela vai continuar em coma induzido por tempo indeterminado.

O Dr. Roberto Kalil Filho, chefe da junta que atende a ex-primeira-dama, explicou que a atividade cerebral só chega ao seu pico depois de passado, no mínimo, três dias de um trauma como o AVC. Nesta sexta-feira, então, quando completa-se o terceiro dia, o médico está esperançoso de que seja possível fazer uma melhor avaliação das regiões do cérebro afetadas pela hemorragia.

Marisa Letícia está acomodada em uma cama térmica. Com o auxílio dela, os médicos conseguem baixar a temperatura do corpo, que normalmente fica perto dos 35ºC, para até 25ºC. O objetivo é diminuir o metabolismo e, junto com ele, a atividade cerebral, para que o cérebro consiga absorver de forma mais rápido o excesso de sangue acumulado na caixa craniana.

O último boletim médico da ex-primeira-dama, divulgado pela assessoria do Sírio-Libanês às 12h desta quinta (26), informou que o quadro de saúde da ex-primeira-dama era considerado estável, mas ainda demandava “suporte intensivo”. O hospital também ressaltou que a pressão intracraniana estava sob controle.

AVC e internação
Dona Marisa passou mal em casa, mas demorou a procurar atendimento. Ela foi levada inicialmente para o Hospital Assunção, em São Bernardo do Campo, e de lá seguiu para o Sírio-Libanês, onde deu entrada por volta das 15h30 da última terça-feira com o diagnóstico de AVC. Ela foi encaminhada diretamente para o setor de emergência, sedada e colocada em um respirador mecânico.

Ainda na terça, Marisa passou por um procedimento de emergência que durou cerca de duas horas para conter a hemorragia no cérebro. Os médicos fizeram uma arteriografia cerebral para detectar a localização da lesão. Eles introduziram um cateter pela virilha da ex-primeira-dama que chegou até a região afetada para estancar o sangramento. É o que se chama de embolização.

De acordo com Kalil Filho, Marisa já tinha um aneurisma, diagnosticado há cerca de dez anos. Na época, não havia indicação cirúrgica, mas apenas de acompanhamento clínico. Segundo o médico, foi esse aneurisma que se rompeu.

O aneurisma cerebral é a dilatação anormal de parte de uma artéria ou veia que irriga o cérebro. Essa dilatação faz com que parte do vaso fique mais fina, mais sensível, como se fosse uma bolha, que pode se romper a qualquer momento e provocar uma hemorragia.
Kalil lembrou que a ex-primeira-dama é hipertensa e disse que uma crise hipertensiva pode ter sido responsável pelo AVC: “O paciente hipertenso tem que se cuidar.

No dia a dia a sua pressão varia, mas ela teve um quadro de crise hipertensiva e isso provavelmente rompeu o aneurisma”.

Fonte:G1