Fale Conosco

Afinal, Cássio é situação ou oposição? Digamos que ele é híbrido e que passou três anos e meio defendendo o governador Ricardo Coutinho para agora no finalzinho da gestão criticar tudo que defendia. 

Mas, isso não importa, a esperteza é o que conta em política. 

Leiam, por exemplo, essa matéria publicada no Maispb no dia 22 de dezembro de 2012, cujo título é “Cássio parte em defesa do Governo e não gosta nada da atitude da ALPB”

O senador Cássio Cunha Lima saiu em defesa do governador Ricardo Coutinho (PSB) na tarde desta quinta-feira (20) e disse que vê com “preocupação” a mudança no regimento da Assembleia Legislativa, permitindo que matérias como as contas do chefe do executivo sejam apreciadas com quorum simples, e não qualificado.

“Eu respeito à autonomia da Assembleia, mas vejo com preocupação a diminuição de quorum para matérias que sejam importantes e relevantes”, disse Cássio Cunha Lima durante entrevista ao Correio Debate, da 98 FM.

Temeroso com a decisão tomada pelos parlamentares Cássio disse que espera que o novo regimento sirva para prejudicar Ricardo Coutinho, ou, outros gestores na Paraíba.

“Que essa mudança não possa ser utilizada para golpear mandatos que sejam legítimos. Haverá uma reação com certeza da sociedade. Você pode ter divergências, criticas com quem quer que seja, mas, não pode utilizar desses instrumentos para praticar golpes brancos”, arrematou Cássio.

Sobre os atritos entre Governo e Assembleia Legislativa, Cássio lembrou que quando foi governador e prefeito nunca teve dificuldade de relacionamento com o Poder Legislativo.

“Para se ter idéia eu fui prefeito por dos mandatos e governador por duas vezes e nunca perdi uma única matéria que nunca enviei como chefe do Poder Executivo. Sempre mantive um bom relacionamento de absoluto respeito ao poder Legislativo. É preciso compreender que o Legislativo tem suas responsabilidades, Me preocupa sim essa redução do quorum para matérias que são relevantes. Porque você pode formar uma maioria simples eventual e provocar danos pro futuro do Estado. Confio, acredito e respeito na autonomia da Assembleia que não vai fazer dessas mudanças instrumento de golpe. Porque golpe não será aceito”, declarou Cássio Cunha Lima.