Fale Conosco

Tem gente que adora apedrejar, mas quando as pedras retornam em suas vidraças logo ficam furiosos e ameçam processar quem as arremessou ou vez reverberar.

Falos dos três porquinhos, não aqueles da fábula Branca de Neve, mas os que teriam torrado a fabulosa quantia de sete milhões de reais na contratação de carro de som e palco com dinheiro da SECOM estadual e que agora estarão sob investigação após o deputado Jandhuy Carneiro solicitar a Mesa da Assembleia pedido de informação dos gastos da gestão Nonato Bandeira.

Hoje fiquei sabendo através do amigo Marcos Marinho que os porquinhos vão ao Tribunal de Justiça me processar.

Não sou irresponsável como eles que vivem a atacar a honra de pessoas de bem como fizeram recentemente com o ex-governador Zé Maranhão e com a secretária de Saúde de Campina, Tatiana Medeiros.

Quem tem acusado Nonato, Torres e Fabiano de formação de quadrilha é a própria secretária de Comunicação Tatiana Domiciano, cuja fonte que me contou em detalhes conversas dela com diversos interlocutores guardarei a sete chaves.

A fonte me disse mais sobre interlocuções recentes de Tatiana Domiciano e me contou inclusive que Nonato e seus pupilos haviam by passando todos os serviços de campanha usando o expediente de contratar carros de som e palcos.

Sete milhões de reais não são sete mil reais e não há como em seis meses serem consumidos com carro de som e palco, pois nem tanto evento houve nesse período para justificar a ordenação e a hora de carro de som média é de 50 reais.

Se querem interpelar alguém tenham a coragem de interpelar a nova gestora da Comunicação no Governo RC, pois minha fonte ouviu o recado dela e vazou para o deputado Jandhuy e este blogueiro que não tem processos por está relatando a verdade.

Se aqueles porquinhos fuçaram na lama e agora estão preocupados com a honra atacada, peço a gentileza de saírem em defesa do amigo Nonato, explicando como pode alguém gastar sete milhões de reais com carro de som e palco em apenas seis meses.

E, por favor, não queiram agora tirar o rabinho de banda porque a imprensa documentou a movimentação do grupo desde aquele encontro coletivo em Buenos Aires para combinar a marmelada da licitação da verba de publicidade e sabemos que Nonato, Fabiano e Torres atuaram e atuam juntos, formando um coletivo dentro do Coletivo RC.

Confio na minha fonte e o deputado Jandhuy não iria protocolar um pedido de informação sobre os gastos da SECOM se não tivessem informações com boa procedência. Onde há fumaça…

Que todos sejam convocados ao Plenário da Assembleia nas próximas semanas para cada um apresentar sua defesa.

O resto é firula.

Acostumados a atacar a honra alheia, agora são eles que estão no paredão.