Fale Conosco

Morreu na manhã deste sábado o cineasta paraibano Ely Marques Ferreira, vítima de complicações causadas pela Covid-19. Ely estava internado em um hospital de João Pessoa e sofria de asma, doença que também afeta os pulmões. Durante sua internação, ele compartilhou tudo em suas redes sociais, chegando a ressaltar a visão do presidente da República diante do cenário da pandemia, chamando Bolsonaro de genocida.

“A sensação de falta de ar do asma é fichinha comparada a sensação de falta de ar do Covid. Mas estou bem e com oxigênio. Ontem éramos 3 casais na triagem e todos os 6 sabíamos que só estávamos passando por isso, a essa altura da pandemia, apenas por causa do Genocida”, disse em uma de suas últimas publicações.

O Fórum Paraibano do Audiovisual divulgou uma nota lamentando a morte do cineasta: “é com imensa tristeza que informamos da partida de nosso querido companheiro de front e amigo @elymarques em decorrência da Covid-19. Em sua breve vida, Ely foi um grande mestre, generoso e fiel sempre disposto e disponível para compartilhar sua inteligência e amor conosco. É assim que Ely vai ser lembrado por nós deste Fórum que tem em seu DNA muito de suas convicções sobre justiça social e bondade deste que sempre foi um ser humano enorme!”, , lamentou.