Fale Conosco

O que Ricardo fez em 100 dias a não ser culpar o passado pelo que não consegue fazer no presente?

Para quem prometia curar todas as mazelas da Saúde em um passe de mágica, até o momento o governo Ricardo não disse a que veio.

Pior do que não fazer é desfazer o que estava funcionando, como é o caso do Hospital de Trauma, que hoje tem suas atividades paralisadas devido ao corte sem aviso no prévio nos salários dos médicos e servidores.

Em Campina a coisa está ainda pior e soube que nesta quarta dez médicos vão pedir demissão.

Por falar em demissão, nesta área outro secretário “adoeceu” e saltou fora por não agüentar a pressão daquela que acabou com a saúde em João Pessoa e que atende pelo nome de Roseana Meira.

De João Pessoa a Cajazeiras a cantilena é uma só: o Governo RC aplicou o remédio errado e saúde foi parar na UTI.  E por falar em remédio, nesses 100 dias muita gente deixou de receber seu remédio especial – conforme a Justiça determinou – e aquele que não teve condições de comprar está por sua contra e risco…de morte.

Abaixo publico a carta de um jovem médico revoltrado com os primeiros 100 dias de Governo Ricardo Coutinho:

 

Retrato de uma administração fadada ao fracasso

 

Desde o ano passado que o governo do estado implementou uma política de valorização salarial para os servidores da saúde no estado da Paraíba. Foi concedido um aumento nos valores dos plantões, onde cada plantão de 24hs correspondia a 2000 mil reais bruto.

 

Com a entrada do novo governador, o mesmo ainda pagou um mês e, logo após, resolveu reduzir 40% esse valor. Instituiu também um teto salarial, onde nenhum servidor poderá ganhar mais que um secretário de estado.

 

Ou seja: 12500 reais! Agora eu pergunto. Se um plantão é 2000 mil reais (Em algumas unidades hospitalares), então o médico só pode receber por seis dias e 06 horas? Já que com essa carga horária já atinge o teto de 12500 reais? E se ele trabalhar 03 dias por semana?

 

Seriam 24000 reais por mês!!! Só que 24000 menos 12500 do teto, ou seja, ele deixa de receber 11500 reais. Ele perde 11500. Ele trabalhou de graça pra Ricardo Coutinho! Aqui nessa Paraíba há de tudo: Diferença salarial entre funcionários da mesma categoria; diferença salarial entre unidades hospitalares; entre Campina e João pessoa; litoral e sertão… Vamos exemplificar…

 

Um médico, seja clínico, Ortopedista, Cirurgião geral ou pediatra, ganha de acordo com a vontade do diretor da unidade hospitalar e do secretário de saúde do estado. Eu me pergunto quais são os critérios? Alguns valores para vocês refletirem!

 

– João Pessoa 2000 reais ( Esse mês houve redução de 40%)

– Campina Grande 2000 reais ( Esse mês houve redução de 40%)

– Itabaiana 2000 mil reais

– Picuí 2000 mil reais

– Princesa Isabel 700 reais ( Por quê?)

– Patos 800 reais

– Piancó 800 reais

– Sousa 800 reias

-Cajazeiras 800 reais

-Queimadas 2000 mil reais

-Itapororoca 2000 mil reias

 

Sem falar que esses valores mudam muito de acordo com muitos contratos unilaterais feitos com cooperativas médicas. Por exemplo, o valor do plantão pago pelas cooperativas da Neuro cirurgia, ortopedia e cirurgia torácica, já é bem maior do que os valores anteriormente citados.

 

Há diferenças gritantes entre os salários dos médicos efetivos e contratados! Cadê a isonomia salarial tanto falada e prometida pelo governador? Foi só promessa?

 

Ricardo não enganou ninguém! Todos já conheciam o seu histórico de mau gestor com a saúde pública e sua posição de desprezo com a classe médica. Basta só ver o que ROSEANE MEIRA faz na saúde de João pessoa.

 

Falta de diálogo, compromisso e excesso de prepotência! Ela não é a secretaria de saúde do estado de direito, mas é de fato! Pois,lá tem seu sobrinho e seu irmão (ou esposo) que resolvem tudo por ela. Tudo passa na mão dela. Ela quem dá as cartas. Pobre Paraíba! Pobre classe médica…

 

E a greve dos médicos do município de joão pessoa? Coitados! Perderam o discurso. Eles reinvidicavam equiparação salarial com os médicos do estado. Mas, Dra ROSEANE, já resolveu! Mandou baixar os salários dos médicos do estado em 40% e, agora, tá tudo equiparados para menos!!! É isso o resumo da administração de Ricardo: Muito discurso e nada de realizações…